CEN + Bienal do Mercosul, programa 2: domingo, 29/09

Saiba mais aqui sobre a colaboração entre o Cine Esquema Novo e a 9a. Bienal do Mercosul | Porto Alegre aqui, e confira o convite para a sessão, via Facebook, aqui.

***

CINE ESQUEMA NOVO NA 9a. BIENAL DO MERCOSUL | PORTO ALEGRE
PROGRAMA #2
SALA PF GASTAL – USINA DO GASÔMETRO
DOMINGO, 29/09, 19h
ENTRADA FRANCA

- Continental Drift, de William Raban (2005, UK)
- Viajo porque preciso, volto porque te amo, de Marcelo Gomes e Karim Aïnouz (2009, BR)

 

***

 Continental_Drift_01

- Continental Drift, de William Raban
2005, cor, Reino Unido, 16”

Um filme de paisagens da terra e do mar, elaborado a partir de ricas fontes de imagens: da aparência em constante mutação do mar, refletindo as condições da maré e do tempo agindo sobre as águas, até as efetivamente distintas costas marítimas de Kent e de Pas de Calais. As 21 milhas aquáticas que separam o Reino Unido da França são o abismo que define tanto a “raça da ilha” quanto a hostilidade inglesa a uma maior integração com a Europa.


Film Title: Viajo porque preciso,volto porque te amo
- Viajo porque preciso, volto porque te amo, d
e Marcelo Gomes e Karim Aïnouz
2009, cor, Brasil, 75”

José Renato (Irandhir Santos) tem 35 anos, é geólogo e foi enviado para realizar uma pesquisa, onde terá que atravessar todo o sertão nordestino. Sua missão é avaliar o possível percurso de um canal que será feito, desviando as águas do único rio caudaloso da região. À medida que a viagem ocorre ele percebe que possui muitas coisas em comum com os lugares por onde passa. Desde o vazio à sensação de abandono, até o isolamento, o que torna a viagem cada vez mais difícil.

 

***


CINE ESQUEMA NOVO NA 9a BIENAL DO MERCOSUL | PORTO ALEGRE

REVOLUÇÃO. O cinema não é mais o mesmo. As portas da caixa-preta abriram-se. As imagens em movimento saem e entram num movimento frenético. A percepção, antes limitada às grades de gênero, à semântica cinematográfica comercial, agora rompe os espaços violentamente, com luz, corpos, cores e movimento.

O Cine Esquema Novo e a Bienal do Mercosul unem-se para ressignificar um ser que muitas vezes caminha isoladamente: o audiovisual. Uma só palavra, mas que parece ter dimensões diferentes quando aplicada a eventos de arte ou a festivais de cinema.

O CEN e a BIENAL apresentam, em cinco sessões únicas de setembro a novembro, um diálogo entre o cineasta experimental inglês William Raban e nove artistas brasileiros: Dellani Lima, Beto Brant, Marcelo Gomes, Karim Aïnouz, Leonardo Sette, Marcellvs L., Cao Guimarães,  Rodrigo John e Helvécio Marins Jr.

E para este segundo programa, uma certeza: Vidas à deriva. A lente que invade a intimidade. Câmeras-olho que transformam a realidade por um novo olhar. Do mar bretão ao sertão nordestino. Câmeras errantes e personagens passageiros. Nós, os espectadores passageiros de uma viagem que começa no Porto de Dover e termina em Piranhas, aonde o sertão vai virar mar e inundar a cidade. Uma homenagem do povo do século XIX ao povo do século XX, como diz a epígrafe no monumento que vai afundar e como mostram as imagens do porto inglês em seu passado comercial. “Continental Drift”, de Willian Raban, e “Viajo porque preciso, volto porque te amo”, de Marcelo Gomes e Karim Aïnouz, se encontram para formar a segunda sessão do Cine Esquema Novo em parceria com a Bienal do Mercosul.

Alisson Avila, Gustavo Spolidoro, Jaqueline Beltrame, Morgana Rissinger e Ramiro Azevedo:
Diretores / curadores Cine Esquema Novo

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *