Cine Esquema Novo e 9a Bienal do Mercosul | Porto Alegre levam cinco programas exclusivos à Usina do Gasômetro de setembro a novembro

A partir deste domingo (22/09) e em diferentes finais de semana, Sala P.F. Gastal recebe sessões únicas com obras de William Raban, pioneiro inglês do cinema expandido, em diálogo com trabalhos de artistas brasileiros

Island Race, William RabanIsland Race, de William Raban

 

Dando continuidade à colaboração estabelecida no último mês de junho, o Cine Esquema Novo e a Bienal do Mercosul voltam a realizar atividades curatoriais conjuntas entre os meses de setembro e novembro – desta vez, dentro do contexto da própria realização da 9a. Bienal do Mercosul | Porto Alegre.

Como parte de uma programação especial paralela, CEN e Bienal levarão cinco programas diferentes à Sala PF Gastal – mais uma vez, utilizando a obra do inglês William Raban, pioneiro do expanded cinema desde os anos 1970, como ponto de intersecção.

Em junho, durante o Cine Esquema Novo Expandido, o longa “Thames Film” foi exibido em um barco navegando pelo Guaíba, além de outros dois trabalhos de Raban (um deles, em première internacional) terem ocupado galerias da Usina do Gasômetro. Desta vez, as obras do inglês vão à “caixa preta” da sala de cinema para travar um diálogo com obras e artistas brasileiros que já passaram pelas oito edições realizadas pelo Cine Esquema Novo desde 2003.

No primeiro programa, que acontece neste domingo a partir das 19h com entrada franca, o contestador “Island Race” (1996), de Raban, encontra duas obras brasileiras inéditas: “É Início da Primavera e Ainda Penso no Inverno”, de Dellani Lima (MG, em première internacional) e “Manifesto Makumbacyber,” de Beto Brant (SP, realizado em parceria com o coletivo Fata Morgana e exibido pela primeira vez na última semana, em São Paulo).

Confira o serviço e as informações sobre os filmes em exibição no próximo domingo. E a seguir, o texto curatorial que contextualiza o trabalho de colaboração entre o Cine Esquema Novo e a 9a. Bienal do Mercosul | Porto Alegre:

CINE ESQUEMA NOVO NA 9a. BIENAL DO MERCOSUL | PORTO ALEGRE
PROGRAMA #1
SALA PF GASTAL – USINA DO GASÔMETRO
DOMINGO, 22/09, 19h
ENTRADA FRANCA

- Island Race, de William Raban (UK)
- É Início da Primavera e Ainda Penso no Inverno, de Dellani Lima (BR/MG)
- Manifesto Makumbacyber, de Beto Brant (BR/SP)

Início da Primavera e Ainda Penso no Inverno, Dellani LimaÉ Início da Primavera e ainda penso no inverno, de Dellani Lima

- Island Race, de William Raban (UK)
1996, 28min, Cor
16mm / Digibeta

Sinopse: Parte da trilogia “Under the Tower” e filmado nas ruas do East End de Londres entre a primavera de 1994 e o verão de 1995, Island Race contrasta situações cotidianas, comuns e corriqueiras com ações de extremistas de extrema direita, manifestações públicas contra grupos anti-racistas, o funeral do líder de uma gangue e as chauvinistas festas de rua comemorando a vitória inglesa justamente no Dia da Europa. Usando apenas imagem e som e sem nenhum comentário adicional, o público é convidado a tirar suas próprias conclusões sobre o retrato da identidade nacional inglesa do final dos anos 1990.

- É início da primavera e ainda penso no inverno, de Dellani Lima (MG/BR)
2013, 10min, Cor
Celular / Câmera fotográfica

Sinopse: Uma colagem poética sobre as manifestações de junho e de algum lugar do passado recente do país.

 

 

- Manifesto Makumbacyber, de Beto Brant
2013, 11min, Cor
Vídeo Digital

Sinopse: O que artistas contemporâneos estão fazendo musical, cênica e poeticamente com todo o legado histórico deixado pelas nossas matrizes africanas. Realizado em parceria com o Coletivo Fata Morgana.

Produção: Beto Brant e Xarlô
Roteiro: Xarlô
Fotografia: Dimitre Lucho e Leonardo Maestrelli
Montagem: Manga Campion
Trilha sonora : Banda Makumbacyber e Ilú Obá de Min
Editor de som: Roberto Ferraz

Manifesto Makumbacyber, Beto BrantManifesto Makumbacyber, de Beto Brant e Coletivo Fata Morgana
 

CINE ESQUEMA NOVO NA 9a BIENAL DO MERCOSUL | PORTO ALEGRE

REVOLUÇÃO. O cinema não é mais o mesmo. As portas da caixa-preta abriram-se. As imagens em movimento saem e entram num movimento frenético. A percepção, antes limitada às grades de gênero, à semântica cinematográfica comercial, agora rompe os espaços violentamente, com luz, corpos, cores e movimento.

O Cine Esquema Novo e a Bienal do Mercosul unem-se para ressignificar um ser que muitas vezes caminha isoladamente: o audiovisual. Uma só palavra, mas que parece ter dimensões diferentes quando aplicada a eventos de arte ou a festivais de cinema.

O CEN e a BIENAL apresentam, em cinco sessões únicas de setembro a novembro, um diálogo entre o cineasta experimental inglês William Raban e nove artistas brasileiros: Dellani Lima, Beto Brant, Marcelo Gomes, Karim Aïnouz, Leonardo Sette, Marcellvs L., Cao Guimarães,  Rodrigo John e Helvécio Marins Jr.

E para o primeiro programa, uma certeza: onde muitos viram as costas, outros erguem as mãos.  Onde muitos enxergam vandalismo, outros destilam poesia. Onde muitos acusam radicalismos, outros produzem música. Onde muitos fecham os olhos, outros abrem uma câmera, em uma seleção que propõe um diálogo unindo manifestações na Inglaterra com os protestos de 2013 no Brasil e a música de matriz africana. Todos tomando as ruas e levantando seus braços – seja com o punho fechado, com um atabaque ou com uma câmera.

Nesta sessão inaugural exibiremos uma estréia e dois filmes inéditos em Porto Alegre. “É início da primavera e eu ainda penso no inverno”, de Dellani Lima, faz a sua estreia internacional. O filme retrata, de forma punk-poética, as manifestações deste ano pelo Brasil. Já um dos mais consagrados diretores brasileiros, Beto Brant, que vem experimentando diversos formatos e criando incessantemente, apresenta o recém lançado “Manifesto Makumbacyber”, com o músico Xarlô e seus atabaques em desfile pelas ruas de São Paulo. Os dois filmes entram em diálogo com o vídeo-manifesto “Island Race”, de William Raban, que faz um retrato crítico do governo do ex primeiro-ministro britânico John Major, mesclando imagens de uma maratona a protestos na Inglaterra. Estes três filmes inauguram, dia 22/09, domingo, às 19h na Sala PF Gastal da Usina do Gasômetro, as sessões que levam o CEN para dentro da Bienal.

Alisson Avila, Gustavo Spolidoro, Jaqueline Beltrame, Morgana Rissinger e Ramiro Azevedo: diretores / curadores Cine Esquema Novo

 

 

1 comment for “Cine Esquema Novo e 9a Bienal do Mercosul | Porto Alegre levam cinco programas exclusivos à Usina do Gasômetro de setembro a novembro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *