“Cinema Novo”, de Eryk Rocha, ganha o Grande Prêmio do CEN 2016

2-cinemanovo_05

 

Na última quinta-feira, 10 de novembro, o Cine Esquema Novo 2016 – Arte Audiovisual Brasileira divulgou os ganhadores da Mostra Competitiva Brasil em cerimônia de premiação na Cinemateca Capitólio. O júri, composto pelo pelo professor do Instituto de Artes da UFRGS, Eduardo Veras, a jornalista e professora no curso de Cinema da UFPel, Ivonete Pinto e o diretor, roteirista e montador Vicente Moreno, elegeu o filme Cinema Novo, de Eryk Rocha o vencedor da noite, que recebeu o Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2016 e diversos serviços dos apoiadores Kiko Ferraz Studios, Lilit Laboratório Digital, Psycho´n´Look e Locall.

 

As 44 obras exibidas em sessões de cinema, videoinstalações, projeções e performance de rua foram avaliadas pelos jurados, que teve a missão de criar livremente quatro prêmios destaque além de indicar o Grande Prêmio do Cine Esquema Novo 2016, todos eles acompanhados de uma justificativa que explicita as razões da escolha. As produções selecionadas foram Rifle, de Davi Pretto, Jonas e o Circo sem Lona, de Paula Gomes, Solon, de Clarissa Campolina e Woman Without a Mandolin, de Fabiano Mixo.

 

Cinema Novo recebeu o troféu do Grande Prêmio Cine Esquema Novo, confeccionado pelo artista Luiz Roque, e prêmios em serviços (veja lista completa abaixo) oferecidos por Kiko Ferraz Studios, Lilit Laboratório Digital, Psycho N’ Look e Locall. O coordenador de Cinema, Video e Foto da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, Marcus Mello, recebeu os prêmios pela equipe.

 

O filme de Eryk Rocha é um ensaio poético que investiga um dos principais movimentos cinematográficos latino-americanos, através do pensamento e fragmentos de filmes dos seus principais autores. O filme mergulha na aventura da criação de uma geração de cineastas que inventou, logo no início da década de 1960, uma nova forma de fazer cinema no Brasil – a partir de uma atitude política que juntava arte e revolução – e que tinha como desejo um cinema que tomasse as ruas e fosse ao encontro do povo brasileiro.

 

Confira as justificativas do Júri para os prêmios do CEN 2016. Para além do Grande Prêmio, o Júri entregou outros 4 destaques, sem ordem de prioridade:

 

Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2016: CINEMA NOVO, de Eryk Rocha (RJ)

“Parece documentário, mas vai além, construindo-se como poderoso ensaio poético. Ressignifica, não segue cartilhas, critica o próprio objeto. Experiência profunda de montagem, atualiza e redescobre a potência das imagens em um novo contexto”.

 

Prêmio Destaque Cine Esquema Novo 2016 #1 - RIFLE, de Davi Pretto (RS)

“Distante dos esquemas tradicionais dos filmes bombacha-e-chimarrão, mas percorrendo o mesmo cenário pampeano, não se entrega às facilidades narrativas ao acompanhar as inquietações de um personagem à margem do heroísmo”.

 

Prêmio Destaque Cine Esquema Novo 2016 #2 - JONAS E O CIRCO SEM LONA, de Paula Gomes (BA)

“Um retrato sensível que, ao assumir o seu processo criativo, espelha e ao mesmo tempo altera a realidade que documenta, dividindo com o personagem o anseio da criação artística”.

 

Prêmio Destaque Cine Esquema Novo 2016 #3 - SOLON, de Clarissa Campolina (MG)

“O cenário pós-catastrófico, o desenho de som arrojado e a sugestão política constroem uma experiência sensorial perturbadora”.

 

Prêmio Destaque Cine Esquema Novo 2016 #3 - WOMAN WITHOUT A MANDOLIN, de Fabiano Mixo (BR-RJ / ALE)

“Uma tradução audiovisual precisa do cubismo ao justapor em um único plano múltiplas perspectivas de uma mesma figura”.

 

 

 

PRÊMIOS EM SERVIÇOS

 

Kiko Ferraz Studios

- 40 horas de edição de som

- 12 horas de mixagem

- 6 horas de foley

- 4 horas de estúdio para dublagem

 

Lilit – Laboratório Digital

- Preparação de 5 diárias de material bruto para montagem, incluindo: conversão com LUT offline para software de edição, sincagem por timecode e/ou claquete, organização no software de edição.

- Backup duplo em fitas de LTO 05 (até 5Tb, sem a mídia)

 

Psycho n’Look

- 10 horas de correção de cor

- 1 DCP de um filme de até 15 minutos

 

Locall

- R$ 5.000,00 (cinco mil reais) em aluguel de equipamentos a serem resgatados nas filiais dos estados de São Paulo, Curitiba ou Porto Alegre.

 

 

Júri

 

EDUARDO VERAS - Eduardo Veras é professor do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), atuando no Bacharelado em História da Arte e no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais. É membro do Comitê Brasileiro de História da Arte. Integra o Conselho Deliberativo da Fundação Vera Chaves Barcellos e o Comitê de Acervo e Curadoria da Fundação Iberê Camargo.

IVONETE PINTO - Jornalista, doutora em Cinema pela USP; professora no curso de Cinema da UFPel; editora das revistas Teorema e Orson; sócia fundadora e ex-vice-presidente da Abraccine – Assoc. Brasileira de Críticos de Cinema; sócia-fundadora e ex-presidente da Accirs (Assoc. e Críticos de Cinema do RS); participou de júris em festivais como Gramado, Mar del Plata, Teerã, Cine Ceará,  Mostra de São Paulo, Havana, Cartagena e FestRio. É autora dos livros A Mediocridade, Descobrindo o Irã e Samovar nos Trópicos.

VICENTE MORENO - Vicente Moreno atua como diretor, roteirista e montador. Entre seus trabalhos recentes está o curta Depois da Avenida, a série Grandes Cenas e o longa Dromedário no Asfalto, do qual foi montador e produtor executivo. Graduou-se realizador audiovisual pela UNISINOS, onde atualmente é professor de montagem e roteiro, e concluiu seu mestrado em comunicação pela PUCRS, com ênfase em narratologia. Foi também professor convidado na CINETVPR em Curitiba e na Especialização em Cinema da UNISINOS.

 

 

Números do CEN 2016

 

5 filmes premiados

3 mostras

44 filmes selecionados para Competitiva Brasil

59 artistas (10duos e 4 coletivos)

32filmes em exibição na Cinemateca Capitólio (sessões às 19h e 21h)

4 filmes nos espaços expositivos do Capitólio

3 filmes no Instituto Goethe

4 filmes no Instituto Ling

1performance pelas ruas da cidade

Mais de 35h programação em sala de cinema, galerias, ruas e paredes da cidade;

14 sessões em sala de cinema

14 filmes dirigidos por mulheres

14 filmes gaúchos (realizados aqui ou em outras plagas)

5 atividades formativas

 

 

O festival reuniu durante uma semana de programação um público que acompanhou as exibições, cursos e palestras que ocorreram na Cinemateca Capitólio, sede do CEN, Goethe-Institut Porto Alegre, Instituto Ling e Fluxo – Escola de Fotografia Expandida. Em 2016, o festival que desde 2003 promove a diversidade da imagem através do conceito de Arte Audiovisual - uma proposta capaz de englobar tanto a ideia do cinema quanto das artes visuais, voltou a ser anual e competitivo.

 

O CEN é uma realização da ACENDI – Associação Cine Esquema Novo de Desenvolvimento da Imagem, em correalização com a Prefeitura Municipal de Porto Alegre, através da Coordenação de Cinema, Vídeo e Fotografia da Secretaria Municipal de Cultura e Goethe-Institut Porto Alegre; coprodução da Pátio Vazio e apoio institucional do Instituto Ling, Departamento de Artes Visuais e Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFRGS, Fluxo – Escola de Fotografia Expandida e Tecna – Centro Tecnológico Audiovisual do RS.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *