Curso com Maria Helena Bernardes discute a relação entre cinema e artes visuais

No final de semana, dias 22 e 23 de junho, aconteceu no Cine Santander Cultural o curso “O filme como território comum às artes visuais e ao cinema: relações entre espaço e tempo – êxtase e movimento”, ministrado por Maria Helena Bernardes, artista, professora e sócia da Arena Cursos.

1

Os participantes tiveram contato com um panorama histórico e teórico da incorporação do movimento como elemento das artes visuais. Foram apresentadas as principais fases históricas desta relação, partindo dos primeiros experimentos feitos para captar o movimento dos objetos no final do século 19 (Étienne-Jules Marey e Eadweard Muybridge), passando pelas vanguardas artísticas do início do século 20 (surrealismo e futurismo), pelo cinema experimental dos anos 1940 e 1950 (Moholy-Nagy e Maya Deren), pelos primeiros experimentos com o vídeo (Nam June Paik e o grupo Fluxus), até os momentos mais recentes das videoinstalações e do cinema expandido (Bill Viola e William Raban).

Este panorama acabou destacando alguns dos momentos essenciais das inúmeras e complexas relações da imagem em movimento com a arte contemporânea, tentando evidenciar uma produção que transcende os limites disciplinares do cinema e das artes visuais. Neste contexto foi dada uma atenção especial ao papel do vídeo, de seu surgimento como materialidade da imagem e tudo o que ele implica, tomando como preocupação central os cruzamentos entre o cinema e as imagens eletrônicas. As formas híbridas entre a experiência das artes visuais e do cinema na criação de novas relações entre espaço e tempo para o envolvimento sensorial do espectador também foram destacadas durante o curso.

7

Texto por Gabriela Ramos de Almeida e Jamer G. Mello

Fotos por Roberto Vinicius

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *