Entrevista: Fred Benevides (CE), realizador do filme “As Corujas”

Algumas perguntas para Fred Benevides, realizador do filme “As Corujas“, selecionado para a Mostra competitiva de curtas e médias-metragens do CEN 2011. O filme participou do Curta Cinema – Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro e da 13ª Mostra de Cinema de Tiradentes. Foi escolhido  Melhor Filme no Olhar do Ceará 20º Cine Ceará – Festival Ibero-Americano de Cinema. O filme é uma produção do coletivo Alumbramento. Saiba mais sobre a participação deste coletivo de realizadores no CineEsquemaNovo aqui.

Sinopse: Em qualquer parte, na noite, estarão as corujas

CEN – Fale mais sobre a obra literária que originou este curta: qual aspecto se faz mais presente no filme?

A obra do escritor Moreira Campos, embora pouco conhecida mesmo em sua terra natal (talvez principalmente), é de um refinamento estilístico que faz eco a algumas apostas estéticas de Tchekov e Edgar Allan Poe, por exemplo, mas profundamente conectada com seu espaço e tempo. Moreira Campos viveu em Fortaleza, em um momento de urbanização intensa de algumas cidades brasileiras. Seus personagens são habitantes dessa cidade em transição e ainda conservam um elo forte com a natureza e com mitos fundantes. Moreira Campos é apaixonado pela humanidade e trata de seus instintos mais primitivos, por vezes, obscuros. Pensamos na transcriação de “As Corujas” tentando conservar certo clima e um aspecto sintético do conto, que possui apenas uma página. Ainda assim, alguns personagens e situações ficaram de fora do filme.

“As Corujas”

CEN – Comente o projeto do qual este curta faz parte: adaptações de diversos escritores cearenses (e não só?) para o audiovisual.

Esse é um projeto da Alumbramento, que envolve diversos artistas ligados ao grupo. Estamos finalizando o segundo curta, transcriado do conto “Dizem que os cães veem coisas”, dirigido por Guto Parente e do qual sou diretor assistente. A ideia é fazer uma caixa com cinco curta-metragens, um documentário e um livrinho sobre o autor. Estamos procurando patrocínio. Já conseguimos o financiamento para o terceiro curta através do Edital de Cinema e Vídeo da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, que possibilitou realizar os outros dois curtas em edições anteriores. Talvez em mais 3 anos consigamos concluir o sonho, ou quem sabe antes, com sorte.

CEN – A fotografia é um dos aspectos mais instigantes deste filme. Como se deu o processo de construção?

Os fotógrafos são Ivo Lopes Araújo e Victor de Melo. Meus amigos e excelentes fotógrafos. Isso para dizer que toparam a “roubada”. Aliás, essa equipe só deu alegria. Toparam todas e sugeriram outras tantas. Existe um aparato entre a lente e o espaço, um vidro pintado com uma caneta com tinta à base d’água. Já havia usado esse procedimento antes, em uma sequência de um curta chamado Kokoronoiro, em outra chave.

Assista ao making off de “As Corujas“:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=WzTuTrUe_iM&feature=channel_video_title]

CEN – No que você está trabalhando neste momento?

Nesse momento, pensando no próximo filme da série do Moreira Campos (acho que só consigo mudar de tema quando esse negócio estiver pronto), colaborando com curta-metragens de amigos, organizando uma publicação da Alumbramento sobre audiovisual, e cursando o mestrado da UFF em comunicação, na linha de pesquisa “políticas e análise da imagem e do som”,  sob orientação do prof. Cezar Migliorin. E sempre penso que vai dar tudo certo.

Assista ao trailer de “As Corujas“:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=wAnEyUy-Hu4&feature=relmfu]

www.alumbramento.com.br

2 comments for “Entrevista: Fred Benevides (CE), realizador do filme “As Corujas”

  1. Pingback: Cineesquemanovo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *