Entrevista: Helena Ignez, realizadora do filme “Luz nas Trevas”

Algumas perguntas para Helena Ignez, realizadora do filme “Luz nas Trevas“, selecionado para a Mostra competitiva de longas-metragens do CineEsquemaNovo. Helena Ignez é atriz e cineasta, ficou conhecida como um dos ícones do Cinema Marginal por suas atuações em filmes de Julio Bressane e Rogério Sganzerla (com quem foi casada e teve duas filhas). “Luz nas Trevas” é a continuação de um dos mais importantes filmes do cinema brasileiro, “O Bandido da Luz Vermelha” (também de Rogério Sganzerla), e participou de diversos festivais e mostras nacionais e internacionais, como o Festival de Cinema de Locarno, na Suíça, o Festival Internacional de Cinema de Santa Barbara, nos Estados Unidos. Helena Ignez participou do júri oficial de premiação na primeira edição do CEN, em 2003.

Sinopse: “Luz nas Trevas”, continuação do clássico “O Bandido da Luz Vermelha”, de Rogério Sganzerla, narra a história de dois dos mais famosos marginais de São Paulo. Seu filho, o bandido Tudo-ou-Nada, é o fio condutor que atravessa essa história política e existencial. Adorado pelas mulheres, Tudo-ou-Nada segue a “carreira” de seu pai a fim de desfrutar de uma ampla variedade de prazeres mundanos.

Ney Matogrosso vive o ‘bandido’ no filme “Luz nas Trevas”

 

CEN – “O Bandido da Luz Vermelha” é considerado, por diversas razões, um dos filmes mais importantes da cinematografia brasileira. “Luz nas Trevas” vem dar sequência ao que Rogério Sganzerla criou no final dos anos 60 ou tem propostas próprias?

O Bandido da Luz Vermelha”, pelas suas qualidades intrínsecas e justa repercussão, é um dos filmes mais importantes da cinematografia mundial do século XX e não tem sequência a não ser o próprio trabalho de Rogério Sganzerla com sua própria obra. Existe sim uma continuidade do espírito do cinema e da arte de Rogério Sganzerla a qual integro a mais de 40 anos. “Luz nas Trevas” é a continuação do personagem do Bandido.

CEN – Um dos destaques do filme é a participação de Ney Matogrosso revivendo o personagem do bandido. Como foi o processo de escolha e a parceria entre vocês?

O processo de escolha foi árduo e só serenou quando decidi que o Ney era o personagem ideal pelo seu grande carisma. A sugestão de ele ser o Bandido veio das minhas filhas, Paloma Rocha e Sinai Sganzerla, ambas super fãs dele. O processo de trabalho foi maravilhoso e pode ser resumido numa frase do próprio Ney: “Helena me disse: fale tudo com verdade e seja você mesmo.” Ney declara que não foi difícil o processo pois se identificou profundamente com as falas do Bandido.

Assista ao teaser de “Luz nas Trevas“:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=ooObP835kls]

CEN – No que você está trabalhando neste momento?

Estou trabalhando no roteiro de Ralé, meu atual projeto, um longa-metragem. É inspirado na Ralé de Górki e terá características semelhantes às dos meus dois longas-metragens anteriores. Diálogos de grande qualidade e ritmo voraz. É também um “musical” como Canção de Baal e Luz nas Trevas.  O elenco é muito próximo dos dois filmes , na verdade a soma dos dois elencos: Ney Matogrosso, Djin Sganzerla, Simone Spoladore, Carlos Careqa, André Guerreiro Lopes, Arrigo Barnabé, etc.

** “Luz nas Trevas” será exibido na sexta-feira, dia 29, às 21h30 na sala P. F. Gastal, e depois novamente no sábado, dia 30, às 16h30 no Cine Bancários. As sessões serão seguidas por debates com a participação de Helena Ignez.

2 comments for “Entrevista: Helena Ignez, realizadora do filme “Luz nas Trevas”

  1. Pingback: Cineesquemanovo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *