Mostra Rumos Itaú Cultural Cinema e Vídeo em Porto Alegre

Porto Alegre recebe até o dia 05 de dezembro a Mostra Rumos Itaú Cultural Cinema e Vídeo 2009/2011 – Linguagens Expandidas, a sexta edição da mostra do programa Rumos Itaú dedicada à produção audiovisual, que está em cartaz na Usina do Gasômetro. Diferentemente das edições anteriores, voltadas ao documentário, a seleção desta vez foi mais abrangente, expandindo seu horizonte e apresentando 21 trabalhos, selecionados entre mais de 600 inscritos, divididos nas categorias Filmes e Vídeos Experimentais, Eventos Multimídia e Documentários para Web.

A mostra foi aberta no dia 22 de novembro com a exibição em única sessão do mais novo trabalho de Arthur Omar, Alquimia da Velocidade, contemplado pelo edital Rumos Itaú. O filme, produzido em 2002 em uma zona de guerra na região central do Afeganistão, apresenta o registro do jogo buskashi, uma atividade tradicional e bastante popular no país, um tipo de precursor do pólo cuja dinâmica consiste em cavaleiros disputarem uma carcaça de um bode decapitado. Captadas com uma câmera amadora de baixa resolução (uma handycam de 1CCD), as imagens do filme apresentam um tratamento notadamente diferente da produção de Arthur Omar até então, com uma montagem que busca dilatar o tempo das imagens a ponto de cavalos e homens ficarem parados no ar.

“Alquimia da Velocidade”

No térreo da Usina do Gasômetro é possível conferir as instalações que compõem o Espaço Dispositivo. Entre as produções, destacam-se a experiência Travelling Zona Norte, dirigida por Gustavo Mello e produzida pelo grupo Nós do Morro, montada com um travelling e projetores que lançam imagens sobre as paredes. Outro trabalho que chama a atenção é o Museu dos Corações Partidos, criado por Inês Cardoso, que passou anos reunindo depoimentos colhidos na internet sobre histórias amorosas, processou este conteúdo e o transformou na instalação, que tem colaborações também de artistas como Jac Lerner e Cao Guimarães – que já foi jurado do CEN e vencedor do prêmio de melhor filme do festival em 2004, com “Da Janela do Meu Quarto”.

Também integram o Espaço Dispositivo as obras 0fps: Southbank, de Gabriel Menotti; Casa-Construção, de Kátia Maciel e Plataforma, do coletivo Cinemata, formado por Cinthia Marcelle e Tiago Mata Machado, que, por sua vez, também já foi jurado do CEN e acabou de ser premiado no Festival de Brasília 2010 com o longa Os Residentes. O filme venceu as categorias de Melhor atriz e Melhor Atriz Coadjuvante, para Melissa Dullius e Simone Sales de Alcântara, respectivamente; Melhor Fotografia, para Aluizio Raulino, e Melhor Trilha Sonora, para Andre Wakko, Juan Rojo, David Lanskylansky e Vanessa Michellis.

Os Documentários para Web incluem sete curtas-metragens, entre eles um de de Bruno Vianna (grande vencedor da última edição do CineEsquemaNovo com o filme Ressaca). Satélite Bolinha pode ser assistido aqui:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=veDZfejpbs8]

Os outros filmes da Mostra Documentários para Web, que podem ser assistidos aqui, são O Vôo de Tulugaq, de André Guerreiro Lopes, selecionado para o Festival do Rio e para a Mostra de Cinema de São Paulo deste ano; O Som do Tempo, de Petrus Cariry; O Céu Nos Observa, de Daniel Lima; Sinfonia, de Aline Portugal, João Costa, Julia De Simone e Julia Mariano e Polivolume: Conexão Livre, de Claudia Afonso, Gabriel Gutierrez e Pedro Vieira.

Toda a programação da Mostra Rumos Cinema e Vídeo deixa clara a busca do Rumos Itaú por um conceito diferenciado de produção audiovisual, voltada à experimentação de linguagens e não restrita ao cinema narrativo “puro”, aspectos buscados pelo CineEsquemaNovo desde a sua primeira edição e que fazem parte mesmo da filosofia do festival. Dar conta da heterogeneidade da produção audiovisual contemporânea, em toda a sua abrangência e ao mesmo tempo em suas especificidades, tem sido o desafio de vários festivais e eventos dedicados ao audiovisual no mundo.

Assista ao belo trailer de O Som do Tempo, de Petrus Cariry:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=0n7SKRp9YcA]

Gabriela R. Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *